Refinarias param produção no Japão, diz documento

Refinarias Sendai, da JX Holdings, com capacidade de processamento de 145 mil barris por dia, e Chiba, da Cosmo Oil, foram danificadas por um incêndio após o terremoto

Cingapura – Seis refinarias japonesas com capacidade de processamento de 1,4 milhão de barris por dia de petróleo foram fechadas devido ao terremoto de magnitude 8,9, de acordo com documento de uma refinaria. Os seis complexos de refino, localizados no nordeste da área atingida pelo terremoto, representam mais de um quarto da capacidade total de processamento de petróleo do país.

As refinarias Sendai, da JX Holdings, com capacidade de processamento de 145 mil barris por dia, e Chiba, da Cosmo Oil, com capacidade de 220 mil barris por dia, foram danificadas por um incêndio após o terremoto, segundo o documento. Os representantes da JX Holdings não foram encontrados para confirmar o tamanho dos danos na refinaria Sendai. Na sexta-feira, a empresa informou que houve um incêndio no tanque de gás de petróleo liquefeito no complexo.

Uma sétima refinaria, controlada pela Idemitsu Kosan, ainda opera parcialmente, aponta o documento, sem dar detalhes. Um funcionário da Idemitsu afirmou que a produção de 200 mil barris diários de petróleo da refinaria Chiba estava ocorrendo normalmente. Não está claro se todas as refinarias paralisadas listadas no documento estão danificadas ou se algumas interrupções são resultado apenas de desligamentos por precaução.

A refinaria China, da Kyokuto, com capacidade para processar 175 mil barris de petróleo por dia, não foi afetada pelo terremoto, mas um funcionário da companhia se recusou a comentar na sexta-feira se a refinaria manteve suas operações. A refinaria Kashima, da JX Holdings, com capacidade para processar 252.500 barris por dia, não estava funcionando após o tremor, em razão de um corte de energia. As informações são da Dow Jones.