Racha pode colocar chefe da ONU na presidência da Coreia do Sul

Alto escalão do partido governista diz esperar que o secretário-geral da ONU se junte a um grupo separatista e se candidate para a Presidência

Seul – Um grupo do partido governista da Coreia do Sul informou nesta terça-feira que irá formar um novo partido e membros de alto escalão dizem esperar que o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, se junte ao grupo em uma aguardada candidatura para a Presidência.

Caso Ban, de saída da ONU, se junte ao novo partido, ele receberia uma plataforma conservadora enquanto se distancia do Partido Saenuri, da presidente afastada Park Geun-hye, afetada por escândalos que levaram à abertura de um processo de impeachment em votação parlamentar neste mês.

Os 29 parlamentares que estão deixando o Partido Saenuri estão entre os que apoiaram a moção parlamentar pelo impeachment por abuso de influência, aprovada em 9 de dezembro.

Alguns analistas esperam que o novo partido se torne a principal força conservadora do país e novas saídas do partido governista são esperadas, especialmente caso Ban se junte à nova legenda.

“Esperamos que o secretário-geral Ban Ki-moon se junte ao Novo Partido Conservador por Reforma, e caso se junte, é certo que ele seja competidor em uma primária justa”, disse Yoo Seong-min, membro do novo partido e possível candidato presidencial, à TV SBS, usando o nome provisório do novo partido.

Em pesquisa de opinião da Realmeter divulgada na segunda-feira, 23,3 por cento dos entrevistados apoiavam Ban, à frente de Moon Ja-in, do Partido Democrata, com 23,1 por cento.