Quase metade das vítimas de Nice eram estrangeiras

O ministério disse que não pode, neste momento, comunicar o número de estrangeiros afetados, uma vez que a lista de pessoas feridas ainda não foi fechada

Quase metade das pessoas mortas em 14 de julho no ataque em Nice eram cidadãos estrangeiros, com 38 das 84 vítimas provenientes de 19 países diferentes, informou nesta terça-feira o ministério das Relações Exteriores francês.

As vítimas estrangeiras vieram dos seguintes países: Argélia, Alemanha, Armênia, Bélgica, Brasil, Estônia, Estados Unidos, Geórgia, Itália, Cazaquistão, Madagáscar, Marrocos, Polônia, Romênia, Rússia, Suíça, Tunísia, Turquia e Ucrânia, de acordo com o porta-voz Romain Nadal.

O ministério disse que não pode, neste momento, comunicar o número de estrangeiros afetados, uma vez que a lista de pessoas feridas ainda não foi fechada.

“No entanto, nesta fase, podemos dizer que 29 países têm vítimas, feridas ou mortas”, acrescentou o porta-voz.

Ao dirigir seu caminhão contra a multidão reunida para a queima de fogos do feriado nacional francês no Passeio dos Ingleses, em Nice (sul da França), o tunisiano Mohamed Lahouaiej Boulhel, de 31 anos, matou 84 pessoas e feriu mais de 300, das quais 19 ainda estavam em estado crítico.