Putin reaparece na televisão russa após semana de ausência

Segundo as imagens divulgadas pela televisão pública, Putin se reuniu hoje no Kremlin com o presidente do Supremo Tribunal, Viacheslav Lebedev

Moscou – O presidente russo, Vladimir Putin, reapareceu nesta sexta-feira na televisão russa após mais de uma semana de ausência, o que gerou rumores sobre seu estado de saúde.

Segundo as imagens divulgadas pela televisão pública, Putin se reuniu hoje no Kremlin com o presidente do Supremo Tribunal, Viacheslav Lebedev.

Além disso, o Executivo russo anunciou em um comunicado que Putin se reunirá em 16 de março com o presidente do Quirguistão, Almazbek Atambaev, e assinará um acordo de aliança e integração com a Ossétia do Sul no dia 18.

O líder russo, de 62 anos, não aparecia em público desde a entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro da Itália, Mateo Renzi.

Os rumores sobre a saúde de Putin se intensificaram após o Kremlin anunciar um repentino cancelamento da visita de Putin prevista para ontem ao Cazaquistão.

“O presidente se encontra bem”, respondeu Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin. Segundo o funcionário, a cúpula de Astana, capital cazaque, com os presidentes do Cazaquistão e Belarus, “será realizada dentro de alguns dias por decisão dos três líderes”.

Peskov negou as informações da imprensa internacional, que cita inclusive fontes oficiais cazaques, de que o chefe do Kremlin estaria doente.

O porta-voz argumentou que Putin tem uma agenda muito atribulada, que se focou nos últimos dias em questões regionais, às vésperas do primeiro aniversário da anexação da península da Crimeia (quarta-feira).

As redes sociais ficaram repletas nos últimos dias por comentários jocosos sobre a saúde de Putin, e inclusive disseram que o presidente tinha morrido e o Kremlin estava escondendo a notícia.

Nos últimos meses, Peskov teve rebater por diversas ocasiões rumores sobre os supostos problemas de saúde do líder russo.

Alguns meios de comunicação disseram que Putin tem câncer e inclusive vincularam à doença a sua decisão de anexar a Crimeia e intervir na vizinha Ucrânia.

O Kremlin apenas reconheceu que Putin teve várias lesões esportivas, declarações que levaram a imprensa russa a afirmar que a saúde do presidente tinha deixado de ser segredo de Estado.

Putin acusou a oposição de “pôr em dúvida a legitimidade e a capacidade de trabalho das autoridades” ao propagar esses rumores.