Putin quer “normalizar completamente” relação da Rússia com Japão

O presidente russo disse que esta confiança entre Tóquio e Moscou será possível através da cooperação em matéria de segurança

Tóquio – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, quer conseguir a “normalização completa” das relações com o Japão para o que considera necessário “concluir um tratado de paz”, segundo reconheceu em entrevista emitida nesta terça-feira por uma emissora de televisão japonesa.

“Queremos concluir um tratado de paz, buscamos uma normalização completa (dos laços com o Japão)”, disse Putin na entrevista realizada antes de sua visita ao país asiático esta semana, na quinta-feira e sexta-feira.

Japão e Rússia mantêm uma disputa territorial sobre as Ilhas Curilas, que Moscou controla desde a rendição do Japão na Segunda Guerra Mundial, em 1945, um contencioso que impediu que os dois países assinassem um tratado de paz.

Putin declarou à emissora “Nippon TV” que Moscou não considera que existem problemas territoriais em absoluto, mas que está “preparado para falar sobre isso”.

“Nossos acordos para criar as condições para a preparação de um tratado de paz devem se basear na confiança, o que se pode conseguir, por exemplo, através de atividades econômicas em grande escala que também abranjam as ilhas Curilas”, afirmou Putin.

Além disso, o presidente russo disse que esta confiança entre Tóquio e Moscou será possível através da cooperação em matéria de segurança.

“Poderíamos e deveríamos conversar para unir esforços para fortalecer a segurança internacional, e não só no Extremo Oriente”, afirmou Putin, que acrescentou que “o crescente perigo relacionado com a proliferação de armas de destruição em massa e de tecnologia de mísseis” são preocupações comuns entre Rússia e Japão.

Nesse sentido, o presidente russo indicou que se houver “atuação conjunta nesses assuntos”, serão criadas “as condições de confiança”.

Putin e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe se reunirão na quinta-feira na província de Yamaguchi, no oeste do Japão, para debater questões relativas ao tratado territorial e de paz.

No dia seguinte, ambos se encontrarão novamente em Tóquio, onde será realizada outra rodada de conversas com foco na cooperação econômica.