Português Guterres lidera primeira votação para dirigir ONU

Entre mais de 12 candidatos na disputa, Guterres venceu por pouca diferença o ex-presidente esloveno, Danilo Turk

O Conselho de Segurança da ONU inciou nesta quinta-feira (21) o lento processo de seleção do sucessor do secretário-geral Ban Ki-moon, com uma primeira votação liderada pelo ex-primeiro-ministro de Portugal, Antonio Guterres.

Entre mais de 12 candidatos na disputa, Guterres – também ex-alto-comissário da ONU para os refugiados – venceu por pouca diferença o ex-presidente esloveno, Danilo Turk.

Dos doze candidatos, seis são mulheres, e entre elas estão a chanceler argentina Susana Malcorra e a costa-riquenha Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção-quadro da ONU sobre as Mudanças Climáticas.

Cada embaixador, acompanhado de apenas um diplomata para limitar os vazamentos de informação, podia designar a cada candidato uma das três menções: “respaldar”, “desanimar” ou “sem opinião”.

Guterres obteve 12 votos de “respaldar”, enquanto Turk recebeu 11, segundo fontes diplomáticas.

Esta primeira votação, a portas fechadas e com voto secreto, que será seguida por muitas outras instâncias, provavelmente até outubro.

A eleição final do Conselho, onde os cinco membros permanentes (Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China) têm direito a veto e uma voz preponderantes, será ratificada pela Assembleia Geral da ONU.

Segundo o embaixador britânico Matthew Rycroft, o propósito deste sistema de votação é de reduzir pouco a pouco o número de candidatos “a um razoável (…) estimulando os piores posicionados a abandonar a corrida”.

Rycroft propôs um “secretário-geral forte”. “É hora de uma mulher tomar as rédeas deste cargo”, acrescentou, detalhando primeiro as qualidades de cada candidato, homem ou mulher. A origem geográfica “é o critério menos importante”, afirmou.

Entre os candidatos de primeira linha encontra-se a neozelandesa Helen Clark, a mulher com o cargo de maior hierarquia na ONU.

Se uma mulher for eleita, ela será a primeira a ocupar a Secretaria Geral, um cargo que sempre foi exercido por homens desde o nascimento da organização.

Outra consideração que se espera levar em conta nesta seção é a de buscar um candidato procedente da Europa Oriental, a única região que ainda não teve um secretário-geral.