Socrates reconhece derrota e abandona direção do PS em Portugal

O PSD, de Pedro Passos Coelho, obteve masi de 51% dos votos

Lisboa  – O primeiro-ministro português, José Socrates, admitiu a derrota dos socialistas nas legislativas deste domingo, e anunciou a sua renúncia como secretário-geral do PS.

“Esta derrota eleitoral é minha e quero assumi-la totalmente esta noite. Chegou o momento de abrir um novo ciclo político no Partido Socialista”, declarou Socrates em discurso em um hotel de Lisboa.

O Partido Social Democrata (PSD) venceu as eleições e o bloco de direita obteve mais de 51% dos votos, segundo resultados parciais obtidos em 80% das zonas eleitorais.

O PSD, de Pedro Passos Coelho, que deverá substituir José Socrates, recebeu 40,6% dos votos, contra 28,5% para os socialista.

Outro partido de direita, o CDS-PP, que já participou de várias coalizões com o PSD, obteve 10,9% dos votos, os Verdes/Comunistas (CDU) somaram 7,2%, e o Bloco de Esquerda (extrema esquerda), 4,5%.

No poder desde 2005, Socrates, 53 anos, se filiou ao Partido Socialista em 1981. Eleito deputado aos 30 anos, foi várias vezes ministro antes de assumir a liderança do PS, em 2004.