Petrobras prevê 2,1 bi de barris na área de Guará

Além disso, o consórcio sugeriu que o novo campo seja chamado de Sapinhoá, "mais um campo gigante descoberto em rochas do pré-sal brasileiro e um dos maiores do País"

São Paulo – A Petrobras, operadora do consórcio BM-S-9, apresentou nesta quinta-feira à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a Declaração de Comercialidade da acumulação de petróleo e gás na área de Guará, no pré-sal da Bacia de Santos (SP), informou a empresa por meio de comunicado.

Essa declaração, informou a estatal, foi antecipada em um ano, visto que o prazo final do Plano de Avaliação aprovado pela ANP era 31 de dezembro de 2012.

Segundo o comunicado, o volume recuperável total estimado no local é de 2,1 bilhões de barris de óleo equivalente. Além disso, o consórcio sugeriu que o novo campo seja chamado de Sapinhoá, “mais um campo gigante descoberto em rochas do pré-sal brasileiro e um dos maiores do país”. Foram perfurados na área quatro poços, informou a Petrobras.

De acordo com a empresa, além da Declaração de Comercialidade foi apresentado à ANP o Relatório Final do Plano de Avaliação da área. Já o relatório do Plano de Desenvolvimento (PD) do campo será submetido à ANP em fevereiro de 2012, enquanto a Declaração de Comercialidade ocorrerá após a execução do Programa de Avaliação Exploratória na área, realizado a partir do primeiro poço perfurado em 2008.

“O sucesso exploratório obtido na área reafirma o elevado potencial do pré-sal e indica boas perspectivas de crescimento do volume de produção e das reservas de petróleo e gás da Companhia”, informou a Petrobras.

O Bloco BM-S-9 é operado pela Petrobras (45 por cento), em parceria com as empresas BG Group (30 por cento) e Repsol Sinopec Brasil (25 por cento).