Partes do Monte Fuji podem desmoronar se falha se deslocar

Um estudo, feito por sismologistas durante três anos, descobriu uma falha ativa até então desconhecida debaixo da montanha, que fica 100 km a oeste de Tóquio

Tóquio – Partes do Monte Fuji, símbolo nacional e uma das principais atrações turísticas do Japão, poderiam desmoronar se uma falha recém-descoberta debaixo da montanha se deslocar, alertou um relatório encomendado pelo governo japonês.

Um estudo, feito por sismologistas durante três anos, descobriu uma falha ativa até então desconhecida debaixo da montanha, que fica 100 km a oeste de Tóquio.

“É possível que (partes d)a montanha possam ruir com deslizamentos de terra na direção de Gotemba”, cidade situada entre a montanha e o Pacífico, afirmou Yasuhiro Yoshida, diretor de pesquisas sismológicas do Ministério da Ciência.

Uma equipe de cientistas, liderada por acadêmicos da Universidade de Tóquio, disparou ondas sísmicas simuladas na montanha, que revelaram uma falha que teoricamente seria capaz de produzir um terremoto de magnitude até 7.

A equipe disse acreditar que a falha se moveu alguma vez no passado no último milhão de anos, embora não tenha ficado claro quando isto ocorreu.

Yoshida explicou que a geografia local mostrou que o Monte Fuji sofreu importantes deslizamentos cerca de 3.000 anos atrás, porém ressaltou que mais estudos são necessários para determinar como a falha poderia afetar uma atividade vulcânica em potencial e vice-versa.

A área em torno da montanha, um cone vulcânico quase perfeito que é muito admirado por sua beleza, é conhecida pelos terremotos frequentes e pelas numerosas falhas.

O país está em alerta para possíveis tremores e outros desastres naturais desde o terremoto de magnitude 9 seguido de tsunami de 11 de março de 2011, que matou 19 mil pessoas e provocou uma emergência nuclear em Fukushima.