Papa será presenteado com bolo de folhas de coca na Bolívia

O presente têm como objetivo mostrar os avanços conseguidos na industrialização da planta, que no país tem usos culturais e medicinais reconhecidos

La Paz – Os cocaleiros bolivianos presentearão o Papa Francisco com um bolo e outros produtos elaborados com folha de coca durante a visita do pontífice à Bolívia em julho, segundo informaram nesta segunda-feira representantes deste setor.

O vice-presidente das Seis Federações do Trópico de Cochabamba, Leonardo Loza, disse à imprensa que uma comissão de cocaleiros entregará a Francisco um bolo, mate e “outros derivados” elaborados com a planta, que na Bolívia tem usos culturais e medicinais.

Esta iniciativa, comentou Loza, tem como objetivo mostrar os avanços conseguidos na industrialização da planta, aproveitando a visita do pontífice para conseguir “uma repercussão nacional e inclusive internacional”.

A entrega dos presentes vai acontecer durante a reunião de movimentos sociais que será realizada na cidade de Santa Cruz em paralelo à visita do pontífice, que permanecerá na Bolívia entre os dias 8 e 10 de julho.

O país andino é, junto com Peru e Colômbia, um dos três principais produtores mundiais de folha de coca, que é o ingrediente principal para sintetizar seu derivado ilegal, a cocaína.

A folha de coca tem na Bolívia usos culturais e medicinais reconhecidos na Constituição, mas uma grande parte da produção da planta é desviada ao narcotráfico.

O governo boliviano reiterou seu desejo de avançar na industrialização da planta com o objetivo de exportar seus produtos derivados; no entanto, a folha de coca segue dentro da lista de entorpecentes da convenção antidroga das Nações Unidas e sua exportação está vetada por esse organismo.

Aliás, os cocaleiros também presentearam há um ano o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, com um bolo de folha de coca durante sua visita à Bolívia por ocasião da Cúpula do G77 e China, e, embora este tenha agradecido, não se sabe se chegou a comê-lo.

O Papa Francisco chegará à Bolívia no próximo dia 8 de julho procedente do Equador e, após permanecer algumas horas nas cidades de La Paz e El Alto, se deslocará à de Santa Cruz, onde vai desenvolver a maior parte de sua agenda.