Papa pede que refugiados e marginalizados não sejam abandonados

Segundo o pontífice, "vivemos em cidades que constroem torres e centros comerciais (...) mas que abandonam uma parte de si nas margens e na periferia"

Cidade do Vaticano – O Papa Francisco pediu que os pobres, os marginalizados, os refugiados e os deslocados não sejam abandonados em um vídeo divulgado nesta quarta-feira e que é gravado a cada mês pelo pontífice para propor um tema de oração.

“Vivemos em cidades que constroem torres e centros comerciais e que realizam grandes negócios imobiliários, mas que abandonam uma parte de si nas margens, na periferia”, afirma o pontífice.

Francisco, que aparece sentado em uma das salas da Casa de Santa Marta, sua residência, continua explicando que, como consequência dessa situação, “grandes massas da população se veem excluídas e marginalizadas: sem trabalho, sem horizontes, sem vias de saída”.

“Não os abandonem”, pede Francisco, enquanto as demais pessoas que aparecem no vídeo permanecem imóveis, realizando o “Desafio do Manequim”, fenômeno popular na internet.

Elas só começam a se movimentar para ajudar um jovem marginalizado que está sentado em uma rua.

“Rezem comigo por todos os que vivem na provação, sobretudo os pobres, os refugiados e os marginalizados; para que encontrem acolhimento e conforto nas nossas comunidades”, diz Francisco.

O “vídeo do papa”, como foi chamada a iniciativa, é divulgado nas redes sociais e tem como objetivo sensibilizar os católicos sobre os desafios da humanidade. A ideia, que foi promovida pela Rede Mundial de Oração, fazia parte dos atos do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, mas foi mantida após o sucesso de visualizações.