Panamá pede mais celeridade à Justiça contra corrupção

O presidente Juan Carlos Varela pediu rapidez nas investigações sobre os casos da Odebrecht e do ex-presidente do país

O presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, pediu nesta segunda-feira à Justiça de seu país maior rapidez nas investigações que realiza sobre casos de corrupção, que atingem o ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli e a empreiteira brasileira Odebrecht.

“A justiça não pôde avançar tão rápido como esperamos e isso deve mudar”, disse Varela durante um discurso pelo início do período legislativo.

Varela pediu ao sistema judicial de seu país que “agilize os processos para chegar a sentenças definitivas, sejam condenações ou absolvições, para que os responsáveis da comissão de atos de corrupção prestem contas à justiça e que os patrimônios cautelados possam ingressar nos cofres do Estado”.

As declarações de Varela acontecem dias depois de o Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelar que a Odebrecht pagou entre 2010 e 2014 comissão de mais de 59 milhões de dólares no Panamá para a obtenção de contratos.