Palestinos e israelenses seguem distanciados após nova reunião

Os negociadores chefe da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Saeb Erekat, e de Israel, Izhak Moljo, mantiveram 'uma discussão franca'

Amã – As divergências entre as posições de palestinos e israelenses ‘persistiram’ em uma nova rodada de conversas realizada nesta segunda-feira sob os auspícios da Jordânia.

Os negociadores chefe da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Saeb Erekat, e de Israel, Izhak Moljo, mantiveram ‘uma discussão franca’, da qual também participou o ministro de Relações Exteriores jordaniano, Nasser Yudeh, disse o porta-voz deste Ministério, Mohammed Kayed, em declarações à agência oficial ‘Petra’.

‘No entanto, as divisões continuaram, como era de se esperar, entre as atitudes das duas partes durante a discussão de assuntos importantes’, declarou.

Kayer salientou que as conversas continuarão com o objetivo de alcançar ‘um terreno comum que feche a brecha’ entre suas posições.

A declaração do porta-voz se trata do primeiro anúncio oficial por parte da Jordânia que confirmou a realização da reunião de hoje.

O Ministério de Exteriores jordaniano impôs a confidencialidade sobre as negociações, em sintonia com o anúncio de Yudeh na semana passada que os encontros entre israelenses e palestinos não seriam anunciados previamente.

Na terça-feira passada, a Jordânia acolheu uma reunião do Quarteto para o Oriente Médio (composto por Estados Unidos, União Europeia, Rússia e ONU) e outro de Erekat e Moljo, em um esforço para reativar as conversas diretas de paz, congeladas há 16 meses, depois que os palestinos se retiraram da mesa devido à construção de novos assentamentos.

Após a reunião, Yudeh disse que Erekat apresentou ao representante israelense e ao Quarteto a posição palestina sobre os problemas das fronteiras e da segurança.

‘Moljo prometeu apresentar uma resposta à proposta palestina antes do final de mês, quando analisaremos a situação completa’, comentou Yudeh.

Acrescentou que o ponto de referência para as conversas entre os palestinos e os israelenses em Amã no mês que vem será o comunicado emitido pelo Quarteto no último dia 23 de setembro, que tinha fixado 26 de janeiro como data limite para que as partes apresentassem sua visão acerca da segurança e das fronteiras.

Também propôs um calendário para fechar um acordo final antes do fim de 2012.