Otan faz primeiro ataque com helicópteros na Líbia

A resolução 1973 do Conselho de Segurança da ONU não autoriza o envio de tropas de ocupação à Líbia, apenas a utilização dos meios para impedir o ataque a civis

Bruxelas – A Otan anunciou na madrugada deste sábado ter realizado seu primeiro ataque com helicópteros na Líbia, visando a veículos militares, equipamentos e tropas do regime do coronel Muammar Kadafi.

“Helicópteros de ataque sob o comando da Otan foram utilizados pela primeira vez no dia 4 de junho, em operações militares sobre a Líbia, dentro da operação ‘Protetor Unificado'”, revelou a Aliança Atlântica.

“Entre os objetivos atacados figuram veículos militares, equipamentos e tropas” do regime de Muammar Kadafi, informa a Otan, sem precisar o local da ação.

O ataque “demonstra as possibilidades únicas oferecidas pela utilização de helicópteros de combate”, disse o general Charles Bouchard, comandante das operações da Otan na Líbia.

Os helicópteros permitem à Otan dispor de uma “flexibilidade suplementar para localizar e combater as forças pró-Kadafi que atacam deliberadamente civis e tentam se esconder em zonas habitadas”.

“Continuaremos a utilizar estes meios quando e onde for necessário, com a mesma precisão que executamos todas as nossas missões”, disse o general canadense. O objetivo é “aumentar a pressão sobre as forças pró-Kadafi”.

A resolução 1973 do Conselho de Segurança da ONU não autoriza o envio de tropas de ocupação à Líbia, apenas a utilização dos meios necessários para impedir que as forças de Kadafi ataquem os civis.

França e Estados Unidos contribuíram com helicópteros de ataque para a missão da Otan, com os franceses enviando quatro Tigres e os britânicos, quatro Apaches, embarcados respectivamente nos navios Tonnerre e HMS Ocean.

Os franceses contam ainda com doze helicópteros Gazelle embarcados.