Ordem de Malta está em guerra contra papa Francisco

Em um comunicado divulgado na quarta-feira, a Ordem confirmou que se nega a cooperar com a comissão de investigação nomeada pelo papa

A Ordem de Malta, uma das mais antigas da Igreja Católica, confirmou nesta semana sua oposição ao papa Francisco, em um gesto pouco comum em sua história milenar.

Em um comunicado divulgado na quarta-feira em seu site, a Ordem confirmou que se nega a cooperar com a comissão de investigação nomeada pelo papa argentino, informaram nesta sexta-feira meios de comunicação religiosos.

A entidade religiosa considera que deve “proteger sua própria soberania” diante do que considera uma ingerência do papa, que ordenou que a comissão investigasse a recente saída do ex-chanceler da Ordem Albrecht Freiherr von Boeselager.

Trata-se de mais um passo na guerra aberta lançada pela influente entidade conservadora, cujas origens remontam às Cruzadas, e que atualmente está presente em mais de 120 países administrando hospitais e ambulatórios, com 12.500 membros e 100.000 funcionários e voluntários.

O alemão Boeselager foi exonerado em 8 de dezembro do cargo que ocupava desde 2014 por ter tolerado a distribuição de preservativos a pessoas com risco de contrair o vírus da aids, explicou a imprensa católica.

“A substituição do chanceler é um ato administrativo interno da Soberana Ordem de Malta e faz parte de sua jurisdição”, recordou a instituição em um comunicado.

Apesar de a entidade ser considerada como um Estado e contar com seu próprio passaporte e corpo diplomático, para a Santa Sé continua sendo vista como uma organização religiosa que deve obediência e respeito ao papa.

A recusa de Von Boeselager de apresentar sua demissão quando solicitada pelos seus superiores, entre eles o cardeal ultraconservador americano Raymond Burke – um dos adversários internos de Francisco -, é uma das origens da controvérsia.

Burke, considerado um grande crítico do papa argentino, foi afastado do Vaticano ao ser nomeado representante do papa na Ordem de Malta e, desde então, lidera a batalha contra o pontificado de Francisco.

O cardeal faz parte do grupo que pediu a Francisco que corrija seus “erros doutrinários”, pedido ignorado até agora pelo pontífice.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Waldomiro Luiz

    Eu não entendo muito de religião, mas o pouco que leio sobre esse assunto acho que precisa de se modernizar.

    1. Heron Luiz Do Valle

      Procure ler mais sobre então. O problema que a matéria elucida é justamente o contrário. Um papa que está agindo em favor da modernidade e não da Igreja de Cristo.

  2. rodrigo pinho

    Acho que já vimos este filme, será que Papa Francisco fará como Clemente?

  3. Luis Carlos R Soares

    Guardadas as devidas proporções e a posição invertida, é como China e Taiwan.

  4. Fernando Pivotto de Andrade

    Algo me diz:
    _Se o Francisquinho ta incomodando, é porque tem algo errado, até a religião se reinventa🎩👳🏻👳🏾👳👨🏻👳🏿🤴🏻🦉⚱️🙏🏽🙏🏽🙏🏽🙏🏽❤️

  5. Tudo evolui inclusive o ser desumano, porque a igreja tem que ficar arcaica presa a costumes de 2000 anos atrás. Herói vc segue a risca os costumes de 2000 anos atras

  6. Planeta Terra

    Heron, Jesús Christo não deixou nenhuma igreja, e sim exemplos de compaixão e amora ao próximo.

    1. Odin Bartolomeu Glioli

      Entendi. Está confessando que está roubando. Ficou bem claro isso.

  7. Paulo Cesar Salata

    Tais assuntos não passam de especulações.