Obama visita Nova Jersey alagada pelo furacão Irene

Consultoras privadas estimam que os danos provocados pelo furacão tenham atingido US$ 10 bilhões

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou neste domingo a cidade de Paterson, no estado de Nova Jersey, para verificar os danos causados pelo furacão Irene, que inundou extensas áreas e obrigou a evacuação de centenas de pessoas.

Obama optou por visitar Paterson, a terceira cidade mais importante do estado, por ser um lugar que sofreu “graves impactos”, explicou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, aos jornalistas que viajaram no avião presidencial.

Embora o furacão Irene tenha chegado a Nova Jersey já reduzido a uma tempestade tropical, nesse estado e em outros do nordeste do país provocou as piores inundações em décadas.

Obama chegou a Paterson acompanhado pelo diretor da Agência Federal para a Gestão de Emergências (Fema), Craig Fugate, e a administradora da Agência de Proteção Ambiental (EPA), Lisa Jackson, entre outras autoridades.

O presidente foi recebido pelo governador de Nova Jersey, o republicano Chris Christie, que agradeceu Obama pelas ajudas aprovadas para que seu estado possa se recuperar da tragédia.

Irene, o primeiro furacão da temporada de ciclones na bacia atlântica, matou mais de 40 pessoas em sua passagem pela costa leste e deixou outras milhões sem eletricidade.

Consultoras privadas estimam que os danos provocados pelo furacão tenham atingido US$ 10 bilhões.

Uma semana depois, a tempestade “Lee” está causando fortes chuvas e inundações em várias áreas litorâneas dos estados do Mississipi e Louisiana, no sul dos EUA.

As autoridades de Nova Orleans, onde o furacão “Katrina” causou uma tragédia há seis anos e deixou 1,8 mil mortos, estão especialmente atentas ao “Lee” e ordenaram a evacuação de algumas áreas que estão fora do sistema de diques da cidade como medida de prevenção.

Obama também acompanha a evolução da nova tempestade e está em contato permanente com as autoridades de Fema, segundo o porta-voz da Casa Branca.