Obama: Israel tem direito de combater tráfico de armas

Para presidente dos Estados Unidos Israel tem o direito de se defender da transferência de armas da Síria para o Hezbollah

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste sábado que Israel tem o direito de se defender da transferência de armas da Síria para o Hezbollah, mas se negou a comentar a informação de que Israel atacou o território sírio com sua aviação.

“Não vou fazer comentários sobre o que ocorreu na Síria ontem”, disse Obama ao canal de TV americano Telemundo. “Mas acredito que os israelenses, de maneira justificada, devem se proteger contra a transferência de armas sofisticadas para organizações terroristas como o Hezbollah”.

As principais redes de TV dos Estados Unidos informaram que a aviação israelense atacou o território sírio na madrugada de sexta-feira, com o objetivo de destruir mísseis terra-ar fornecidos recentemente pela Rússia ao regime de Bashar al Assad. O armamento estava armazenado no aeroporto de Damasco.

De acordo com a rede de televisão NBC, “o principal alvo de Israel era uma carregamento de armas destinado ao Hezbollah, no Líbano”, referindo-se ao movimento xiita libanês, inimigo de Israel.

Um alto funcionário americano indicou que o ataque visava, provavelmente, sistemas de lançamento de armas químicas, mas outras autoridades consultadas pela rede CNN questionaram essa informação.

Uma fonte militar síria desmentiu o ataque e o gabinete do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não confirmou a informação.

Segundo a agência oficial síria Sana, na sexta-feira rebeldes dispararam dois foguetes contra o aeroporto de Damasco, atingindo um avião e um reservatório de querosene.