Reforma migratória pode ocorrer ainda em 2013, diz Obama

O presidente norte-americano afirmou que consenso bipartidário sobre o tema já está se formando

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se mostrou confiante nesta quarta-feira que pode aprovar uma reforma “ampla” do sistema migratório “antes do fim do ano” e pediu a colaboração dos republicanos na redação de um projeto de lei.

“Acho que sim (podemos ter uma lei antes de fim de ano), já que estamos começando a ver um consenso bipartidário”, afirmou Obama em entrevista na Casa Branca à rede de televisão hispânica “Univisión”.

No entanto, insistiu que o único caminho é que “os republicanos sigam trabalhando junto com os democratas no Congresso”.

Ontem, o presidente americano defendeu sua proposta para uma reforma migratória que legalize a população sem documentos e se mostrou convencido que “chegou a hora de uma reforma migratória integral de bom senso”, no primeiro discurso de seu novo mandato em um ato em Las Vegas.

Durante a entrevista de hoje, Obama comemorou o fato de haver “pelo menos mais bipartidarismo no tema da imigração que no (controle) das armas”, outra questão considerada primordial pelo líder.

Também comentou as críticas de alguns senadores republicanos, como Marco Rubio (da Flórida), que asseguraram que para chegar a um acordo entre ambos partidos é preciso vincular o caminho à cidadania a um fortalecimento da segurança fronteiriça.

“Pusemos a segurança fronteiriça na frente do caminho à cidadania, fizemos mais em segurança fronteiriça nos últimos quatro anos que nos 20 anteriores”, respondeu Obama.

Em paralelo, assegurou, sua proposta procura oferecer ‘um caminho real para a cidadania’. No entanto, o presidente advertiu que este caminho “levará algo de tempo”.

“Esta não será uma situação na qual da noite para o dia subitamente as pessoas acordaram como cidadãos. Vão ter de ganhar a cidadania”, ressaltou Obama.