Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

O que se sabe da interferência da Rússia nas eleições americanas

The Washington Post e The New York Times afirmaram que a CIA chegou à conclusão de que o governo russo tentou ajudar Trump a ganhar as eleições

As autoridades dos Estados Unidos advertiram as equipes de campanha democrata e republicana que estavam sendo ‘hackeadas‘, e em junho as provas dos ciberataques apontavam diretamente para o governo russo.

Relação dos acontecimentos dos últimos meses:

– 18 de Maio:

O diretor de Inteligência Nacional, James Clapper, avisa sobre uma série de ataques informáticos contra as equipes de campanha democrata e republicana, mas não dá indicações sobre sua origem.

“A medida em que a campanha avançar, provavelmente saberemos mais”.

– 15 de Junho:

A empresa de cibersegurança CrowdStrike, contratada pelo Partido Democrata para investigar o furto de dados de seu sistema informático, aponta para dois hackers russos.

“Acredita-se que estão ligados aos poderosos e muito capacitados serviços de Inteligência do governo russo”.

– 22 de Julho:

WikiLeaks publica a primeira série de dados hackeados do Comitê Nacional Democrata, algo em torno de 44 mil e-mails e 18 mil documentos relacionados. O site não revela sua fonte.

– 7 de Outubro:

O departamento de Segurança Interna e o diretor de Inteligência Nacional afirmam que o governo russo está por trás dos ciberataques sofridos pelas organizações políticas americanas.

“Estes furtos e sua divulgação têm por objetivo interferir no processo eleitoral americano”.

No mesmo dia, o WikiLeaks começa a publicar e-mails hackeados do Gmail de John Podesta, diretor de campanha de Hillary Clinton. Há publicações quase diárias até dias antes das eleições.

SecureWorks, outra empresa especializada em cibersegurança, diz que os e-mails de Podesta foram roubados pelas mesmas pessoas que atacaram o Comitê Nacional Democrata.

– 29 de Novembro:

Sete membros democratas da Comissão de Inteligência do Senado exigem da Casa Branca que torne público o que sabe sobre a intervenção da Rússia nas eleições.

– 9 E 10 de Dezembro:

Os jornais The Washington Post e The New York Times afirmam que a CIA chegou à conclusão de que o governo russo tentou ajudar o republicano Donald Trump a ganhar as eleições publicando e-mails furtados.

O Post assinala que o FBI não sabe claramente quais os motivos dos ciberataques, enquanto o Times revela que a Rússia também hackeou computadores do Comitê Nacional Republicano.

Trump afirma que as conclusões da CIA são “ridículas”. “Não sabem se foi a China, a Rússia ou outro”.