Número de mortos em incêndio em Portugal sobe para 64

O incêndio começou na tarde de sábado na vila de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, após o impacto de um raio em uma árvore seca

Lisboa – O número de mortes provocadas pelo incêndio que arrasa desde sábado o centro de Portugal aumentou nesta segunda-feira para 64, segundo o último balanço provisório das autoridades, que informaram também que 70% das chamas estão controladas.

O número oficial de mortos foi atualizado por um tenente da Guarda Nacional Republicana (GNR), que não detalhou aos jornalistas se a cifra de feridos, que estava situada em 62, também aumentou.

O presidente da Liga dos Bombeiros portugueses, Jaime Marta Soares, já tinha confirmado uma nova vítima mortal, um bombeiro de 40 anos que estava hospitalizado em estado muito grave, após tentar salvar vários civis presos em um veículo em chamas.

A esta vítima se uniu um homem que foi encontrado morto em um dos povoados afetados pelas chamas, o que eleva o saldo provisório para 64 mortos.

Na mesma coletiva de imprensa, o comandante de operações dos Serviços de Proteção Civil portugueses, Elísio Oliveira, informou que 70% do incêndio está controlado, mas que o 30% restante ainda gera preocupação nas autoridades.

“À tarde houve situações complexas e isso nos obrigou a confinar e desalojar povoados”, explicou.

O incêndio começou na tarde de sábado na vila de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, após o impacto de um raio em uma árvore seca, de acordo com a versão com a qual trabalham as autoridades.

As chamas, que são combatidas por mais de 2.000 efetivos apoiados por meios aéreos de Espanha, França e Itália, se estenderam também aos distritos de Coimbra e Castelo Branco.