Moscou - O grupo de cosméticos francês Yves Rocher retirou sua denúncia contra o opositor russo Alexei Navalny e seu irmão, acusados nesta semana de fraude, informou nesta sexta-feira o jornal da oposição Novaia Gazeta.

O diretor-geral do Yves Rocher Vostok, a filial russa do grupo, Bruno Leproux, "renunciou a sua denúncia", afirmou o jornal, que não cita suas fontes nem informa quando a denúncia foi retirada.

Além disso, Leproux "renunciou ao seu posto de diretor-geral do Yves Rocher Vostok e, segundo nossas informações, saiu da Rússia", acrescenta, citando um porta-voz da filial russa que não soube informar onde Leproux se encontra.

Os irmãos Alexei e Oleg Navalny foram acusados em dezembro de 2012 de terem desviado 55 milhões de rublos, um número que o comitê de investigação russo revisou em baixa na última terça-feira, estimando em 26 milhões de rublos (592.000 euros) o desvio do Yves Rocher e em mais de quatro milhões de rublos (91.000 euros) o proveniente de outra empresa russa, MPK.

Eles também são suspeitos de terem lavado 21 milhões de rublos (478.000 euros).

Alexei Navalny é um advogado e blogueiro de 37 anos que denuncia a corrupção na Rússia e que se converteu em um dos líderes da oposição ao presidente Vladimir Putin. É alvo de muitas investigações e foi condenado recentemente a cinco anos de prisão com pena em suspenso.

Ele rejeita todas as acusações e denuncia que se trata de uma estratégia do Kremlin para fazer com que ele se cale.

Tópicos: Política, Europa, Rússia, Ásia