Istambul - Autoridades turcas precisam adotar medidas adicionais para conter o alto número de refugiados, em sua maioria sírios, que se movimentam rumo ao oeste, afirmou nesta quinta-feira o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

A autoridade sugeriu que a Grécia deve enviar imigrantes de volta para a Turquia, como parte da ofensiva contra traficantes de pessoas.

"A União Europeia aprecia nossa cooperação boa e crescente com a Turquia para impedir a imigração irregular, nós saldamos a ampliação dos esforços", disse Tusk em entrevista coletiva conjunta, após uma reunião com o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, em Ancara.

As duas partes concordaram que o fluxo de refugiados para a União Europeia "ainda permanece muito alto", disse Tusk.

A autoridade europeia e Davutoglu se reuniram antes da cúpula do dia 7 entre a UE e a Turquia, quando será discutido o esforço conjunto para controlar a maior crise de refugiados desde o fim da Segunda Guerra.

A Turquia e a UE concordaram com um plano de ação no encontro de 29 de novembro em Bruxelas, mas apesar do inverno rigoroso dezenas de milhares de imigrantes ilegais seguiram nos últimos meses por rotas perigosas do Mar Egeu, partindo da Turquia para a Grécia.

O contínuo fluxo de refugiados gerou uma nova crise humanitária na fronteira entre a Grécia e a Macedônia, após os países dos Bálcãs fecharem parcialmente suas fronteiras.

Segundo o premiê da Turquia, não é correto que todas as fronteiras sejam fechadas, já que essa questão não diz respeito apenas à Turquia e à Grécia. Davutoglu disse ainda que deve haver uma cooperação com a UE, para conter a crise.

Tópicos: Europa, Grécia, Crise grega, Piigs, Imigração, Refugiados, Síria, Turquia, Ásia