O líder da maioria republicana no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell, garantiu nesta terça-feira que a Casa não confirmará qualquer candidato à Suprema Corte proposto pelo presidente democrata Barack Obama.

"Os presidentes têm o direito de designar, assim como o Senado, de acordo com a Constituição, tem o direito de dar, ou não, consentimento", declarou McConnell.

"Neste caso, o Senado vai rejeitar", acrescentou, referindo-se ao eventual substituto para a vaga do juiz conservador Antonin Scalia, falecido há dez dias.

Os juízes da mais importante instância judicial do país são vitalícios.

Com nove membros, a Suprema Corte conta agora com quatro juízes conservadores e com quatro progressistas, aumentando as chances de um empate em qualquer decisão, se um novo magistrado não for indicado em breve.

Se Obama conseguir designar um juiz progressista, a Corte pode se inclinar para a esquerda pela primeira vez em décadas, uma hipótese que aterroriza os republicanos.

Os principais pré-candidatos republicanos à Casa Branca defendem que o substituto de Scalia seja escolhido pelo próximo presidente, que será eleito em 8 de novembro.

Obama já manifestou sua determinação de encontrar um substituto para Scalia, apelando aos legisladores para que rejeitem o obstrucionismo por motivos meramente partidários.

Tópicos: Barack Obama, Personalidades, Políticos, Democratas, Estados Unidos, Países ricos, Justiça, Republicanos