Toulouse - O presidente francês Nicolas Sarkozy declarou nesta segunda-feira que o tiroteio que deixou quatro mortos numa escola judaica é uma tragédia nacional e prometeu achar o autor do ataque.

Sarkozy, que foi até o local da tragédia, anunciou que será feito um minuto de silêncio em todas as escolas francesas na terça-feira e que o Estado se empenhará na investigação do crime.

Sarkozy disse ainda que seu ministro do Interior, Claude Gueant, permanecerá em Toulouse o tempo necessário para chegar ao fundo de uma série de tiroteios na área de Toulouse que ele acredita estar relacionados.

Quatro pessoas, um adulto de 30 anos e três crianças, com idades de três, seis e 10 anos, foram assassinadas a tiros na manhã desta segunda-feira em uma escola judaica da cidade de Toulouse, no sul da França, anunciou o procurador Michel Valet.

O primeiro balanço informava três mortos e duas pessoas gravemente feridas pelos tiros de um homem que circulava em uma moto e utilizou duas armas.

Uma das armas era do mesmo calibre da utilizada utilizada no assassinato de dois soldados de um regimento de paraquedistas em Toulouse e Montauban.

Tópicos: Europa, França, Países ricos, Judeus, Políticos, Nicolas Sarkozy