Aguarde...

Autor? | 14/09/2012 06:15

Sam Bacile, o nome por trás do vídeo que ridiculariza Maomé

Homem é suposto autor de "Inocência dos Muçulmanos", um filme amador que ridiculariza o profeta Maomé e que foi o estopim de ataques aos americanos no Oriente Médio

Fernando Mexía, da

REUTERS

Manifestante balança rifle em frente a embaixada americana em chamas, em Benghazi

Manifestante balança rifle em frente a embaixada americana em chamas, em Benghazi

Los Angeles - Oculto atrás de uma longa lista de pseudônimos e em paradeiro desconhecido, o homem responsável pelo vídeo que atiçou o mundo islâmico se transformou nas últimas horas na pessoa mais procurada dos Estados Unidos por jornalistas, ansiosos para mostrar o rosto do escorregadio diretor.

"Quem é Sam Bacile?" se perguntava nesta quinta-feira o canal "CNN" em seu site onde recopilava a informação mais relevante publicada até o momento sobre o autor de "Inocência dos Muçulmanos", um filme amador que ridiculariza o profeta Maomé e que foi o estopim de ataques a missões diplomáticas dos EUA no Oriente Médio.

É difícil precisar sua identidade real, embora a esta altura, tudo aponte que Sam Bacile é apenas um homem conhecido também como Nicola Bacily, Mark Basseley Youssef, Erwin Salameh, Ahmad Hamdy e outros tantos que têm como nexo comum Abanob B. Nakoula e Nakoula Basseley Nakoula.

Esses dois nomes de sobrenome Nakoula aparecem nos registros oficiais em um mesmo endereço, uma rua sem saída de um bairro residencial do município de Cerritos, no condado de Los Angeles, cuja tranquilidade foi alterada desde a noite da quarta-feira pela imprensa.

Dezenas de repórteres, fotógrafos e caminhões de televisão se aproximaram do local à caça de uma imagem ou um comentário do misterioso sujeito a quem atribuem duas entrevistas contraditórias antes de desaparecer.

Em uma delas, se apresentou como Sam Bacile, de 52 anos, disse ser um israelense-americano que considerava o Islã um "câncer" e que arrecadou US$ 5 milhões de doadores judeus para gravar seu filme que, pelos vídeos postados em YouTube, parece obra de vídeo-amador.

Na outra, assegurou chamar-se Nakoula, ter 55 anos, e ser colaborador de Sam Bacile. Declarou ser cristão copta e ter participado unicamente como produtor da polêmica produção.

Sam Bacile, como pôde comprovar a Agência Efe, não está nas bases de dados de referência da indústria de Hollywood nem como diretor, nem como roteirista. Nakoula Basseley também não, mas aparece sim nos arquivos federais como ex-detento por uma fraude bancária cometida em 2009.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados