Moscou - O Kremlin garantiu nesta segunda-feira que está interessado que Cuba e Estados Unidos mantenham boas relações, ao mesmo tempo que insistiu em sua oposição às sanções, em referência ao bloqueio americano.

"Estamos interessados que Cuba mantenha boas relações com todos seus vizinhos, mas em primeiro lugar, certamente, com os Estados Unidos", disse Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, aos veículos de imprensa locais.

Peskov ressaltou que a Rússia sempre se manifestou contra a política de sanções, ao considerar que são um instrumento ineficaz e contraproducente.

Nos últimos anos, a Rússia tentou restabelecer a estreita cooperação política e econômica que mantinha com Havana durante a União Soviética e, de fato, há dois anos perdoou 90% da dívida contraída pela ilha.

Logo após iniciar o degelo com os EUA, o presidente cubano, Raúl Castro, viajou em maio de 2015 a Moscou para se reunir com o chefe do Kremlin, Vladimir Putin, e reforçar a aliança estratégica entre ambas as partes.

Tópicos: Cuba, América Latina, Estados Unidos, Países ricos, Europa, Rússia, Ásia