Faixa de Gaza - A principal usina de eletricidade da Faixa de Gaza parou nesta sexta-feira sua atividade devido à severa falta de combustível para seu normal funcionamento, informou um funcionário da Autoridade Palestina de Energia.

Fathi Sheikh Khalil, vice-presidente da Autoridade Energética, declarou à imprensa que a única usina que fornece luz a amplas áreas da faixa desligou suas turbinas no começo da manhã.

"Todas as tentativas por comprar diesel industrial barato a fim de manter em funcionamento a usina fracassaram", declarou o funcionário, antes de explicar que a estação consumiu nos últimos dias o combustível armazenado.

A Faixa de Gaza, onde vivem 1,7 milhão de pessoas, obtém eletricidade de diferentes provedores; Israel, Egito e da única usina que produz o bem e fica no centro do território palestino litorâneo.

A companhia que opera a unidade com sede em Gaza obtinha de Israel um diesel industrial especial com o qual operava.

Khalil revelou, no entanto, que a razão da suspensão da atividade foi um desacordo em torno dos preços e dos impostos a pagar pelo diesel entre a Autoridade Nacional Palestina (ANP) - que governa a Cisjordânia -, e as companhias de combustível israelenses que abastecem a usina de Gaza.

O território litorâneo requer cerca de 300 megawatts para não ter blecautes diários, embora só consiga 120 megawatts de Israel, 20 do Egito e 70 da usina de Gaza.

"A cada dia ficamos oito horas sem luz, e agora, depois que a usina parou, a falta de eletricidade durará 12 horas por dia", previu Sheikh Khalil.

Tópicos: Eletricidade, Palestina