Aguarde...

Avaliação | 23/10/2011 07:00

Por que o Brasil não está no ranking das 100 cidades inovadoras

Empresas brasileiras ainda investem pouco em inovação, mas especialistas apostam na mudança deste cenário nos próximos anos

Divulgação

Laboratório de inovação da Natura

São Paulo – Os municípios do Brasil deixaram a desejar e não figuraram na lista das 100 cidades mais inovadoras do mundo em 2011, segundo levantamento realizado pela firma de pesquisa australiana 2thinknow. O gargalo, segundo especialistas, está na falta de cultura das companhias nacionais em investir em pesquisa e desenvolvimento (P&D), o que seria fortemente positivo para as próprias empresas.

A avaliação é de analistas consultados por EXAME.com. Para eles, a ausência do Brasil no levantamento não é uma surpresa, mas sim preocupante, principalmente levando em conta o fato de o país ser a 7ª economia do mundo.

Boston, a cidade que foi eleita como a mais inovadora do mundo, é reconhecida no ranking não apenas pelas grandes universidades que possui, como Harvard e o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, na sigla em inglês), mas também pela quantidade de companhias que apostam em P&D para desenvolver novos produtos e lucrar com isso.

Na contramão, as cidades brasileiras ainda batalham neste sentido. Embora muitas pesquisas sejam feitas atualmente e o registro de patentes continue crescendo, ainda há muito esforço sendo feito para concluir parcerias entre as empresas e as universidades.

“Falta entre os brasileiros um pouco de cultura de inovação, inclusive entre o empresariado”, explica Rogério Filgueiras, coordenador-adjunto da Agência de Inovação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “O empresário brasileiro é avesso ao risco, principalmente levando em consideração o processo histórico do País.”

“Grande parte dos estudos é feita em universidades, e não nas companhias, onde o produto é desenvolvido, produzido e aperfeiçoado e, posteriormente, chega até os consumidores”, acrescenta.

De acordo com a Pintec (Pesquisa de Inovação Tecnológica, divulgada pelo IBGE), a quantidade de companhias que declararam ter introduzido pelo menos uma inovação em seus projetos aumentou apenas 5%, passando de 33,4% entre 2003 e 2005 para 38,4% entre 2006 e 2008, segundo o último balanço.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados