Nova Délhi - A população da Índia, que atualmente é de 1,21 bilhão de pessoas, aumentou em 181 milhões ao longo da última década, o que coloca a maior democracia do mundo muito perto de destronar a China como país mais populoso do planeta em 2030.

Este aumento é equivalente a toda a população do Brasil.

Uma boa notícia para as autoridades indianas é que a taxa de crescimento da população registrou a maior queda desde a independência, em 1947, passando de 21,5%, há 10 anos, para 17,6%.

"Os dados mostram que a Índia está em um período de transição demográfica, e não precisamos mais nos preocupar com a 'bomba populacional', pois os números tendem a se estabilizar", explicou P. M. Kulkarni, especialista em demografia da Universidade Jawaharlal Nehru de Nova Délhi.

Ao mesmo tempo, a taxa de alfabetização passou de 64,8% em 2001 para 74%, de acordo com dados preliminares do censo indiano, divulgados na quinta-feira.

A tendência é particularmente assombrosa entre as mulheres, já que o número total de mulheres alfabetizadas aumentou quase 50%, passando de 224 milhões em 2001 para 334 millones.

"Na verdade, a queda da taxa de crescimento da população global é uma consequência direta do aumento da alfabetização feminina", destacou por sua vez K. Nagaraj, ex-membro do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento de Madras.

Entretanto, os números do último censo também revelaram uma preocupante queda no número de meninas.

Os coordenadores do censo contaram 914 meninas para cada 1.000 meninos - há dez anos, eram 927 -, o que sugere o fracasso coletivo dos esforços para combater o aborto de meninas e outros métodos ilegais de seleção da natalidade.

O novo total de 1,21 bilhão de habitantes significa que a Índia é atualmente mais populosa do que Indonésia, Estados Unidos, Brasil, Paquistão e Bangladesh juntos.

Os números definitivos do censo indiano devem ser publicados no final do ano.

Tópicos: Política, Renda per capita, Ásia, Índia