Washington - O suposto autor do tiroteio ocorrido nesta segunda-feira nas imediações do Capitólio, sede do Congresso dos Estados Unidos, foi detido e um agente ficou levemente ferido, informou o corpo policial encarregado das instalações do Legislativo.

No entanto, as autoridades pediram aos cidadãos que se encontram nos arredores, assim como aos funcionários do Congresso, que permaneçam abrigadas nos prédios da região.

O suposto autor do tiroteio também ficou ferido pelos disparos efetuados pelos agentes que intervieram perante esse alerta de segurança.

Os acessos ao complexo foram bloqueados imediatamente após os primeiros disparos serem escutados na área de visitantes, e a Casa Branca também foi bloqueada, seguindo os protocolos de segurança, embora no caso da sede do Executivo, o fechamento já tenha sido suspenso.

"Ninguém poderá entrar ou sair de nenhum edifício. Devem movimentar-se dentro dos edifícios ou nas conexões sob a terra. Se estão fora, busquem refúgio", advertiram as autoridades policiais aos funcionários do Congresso em mensagem interna à qual a Agência Efe teve acesso.

Através de sua conta no Twitter, a polícia do Distrito de Columbia confirmou que se trata de um incidente isolado e que não representa uma "ameaça" para o resto da capital americana.

O Congresso se encontra em período de recesso pelas festividades de Páscoa e não voltará à atividade regular até meados do próximo mês, mas muitos escritórios dos legisladores continuam seu trabalho e parte dos edifícios está aberta aos turistas.

O Centro de Visitantes do Capitólio foi construído com o objetivo de aumentar as medidas de segurança, depois que em 1998 dois oficiais de polícia morreram em outro tiroteio.

Texto atualizado às 17h10

Tópicos: Estados Unidos, Países ricos, Prisões