Roma - As peças de uma igreja do sul da Itália, que foi desmontada pelo artista Francesco Vezzoli para ser reconstruída em frente ao Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), foram bloqueadas pela polícia em um porto italiano, segundo a imprensa.

A bela e pequena igreja de Montegiordano, um povoado de 2.000 habitantes, construída no fim do século XIX e dessacralizada, havia sido cuidadosamente empacotada pedaço a pedaço para ser enviada aos Estados Unidos, onde deve figurar no pátio do MoMA PS1, um dos maiores museus de arte contemporânea do mundo.

Os 11 contêineres que esperavam sua partida em direção aos Estados Unidos no pequeno porto de Gioia Tauro foram embargados pela polícia por ordem da procuradoria de Palmi, por tentativa de exportação ilegal de um bem cultural, segundo a imprensa italiana.

Para Francesco Vezzoli, de 42 anos, um dos artistas italianos mais conhecidos e controversos, esta mudança fazia parte de um projeto batizado de "Trinity", sobre arte religião e glamour, em colaboração com o museu de Nova York e com seus equivalentes em Los Angeles (o MOCA) e Roma (o Maxxi).

O caso provocou polêmica entre os moradores de Montegiordano, que pediram a intervenção das autoridades locais encarregadas da proteção do patrimônio.

"Tenho todas as autorizações em ordem. (...) A igreja estava perdida no meio de um campo de ervas daninhas e estou levando-a para o MoMA PS1. Não é muito melhor?", havia declarado Vezzoli ao jornal Corriere della Sera.

Tópicos: Arte, Europa, Itália, Piigs, Países ricos, Museus