Cidade do Vaticano - O Papa Francisco pediu nesta sexta-feira a todos os cristãos que rezem com ele pelos 92 africanos mortos no deserto do Saara quando migravam em busca de "melhores condições de vida", em um novo apelo à solidariedade com os migrantes.

Dirigindo-se à multidão reunida na Praça de São Pedro para o Angelus, por ocasião da festa católica de Todos os Santos, Francisco fugiu do roteiro para adicionar esta súplica depois de pedir orações pelos cristãos perseguidos ao redor do mundo.

"De uma maneira especial, vou rezar por nossos irmãos e irmãs, homens, mulheres e crianças, mortos vítimas da fome, sede, fadiga, em seu caminho para encontrar melhores condições de vida. Nos últimos dias, temos visto nos jornais imagens cruéis do deserto. Oremos em silêncio por todos esses irmãos e irmãs", pediu.

Os corpos de 92 pessoas (52 crianças, 33 mulheres e 7 homens), aparentemente nigerinos, que tentavam chegar a Argélia, foram encontrados no deserto do Saara. As autoridade acreditam que os migrantes morreram no início de outubro.

O drama teria acontecido depois que "um dos veículos que os transportava até Tamanrasset, na Argélia, quebrou", segundo o governo do Níger.

O Níger, um dos países mais pobres do continente , onde as crises alimentares são recorrentes, enfrenta, como muitos outros países africanos, uma grande emigração.

Tópicos: Papas, Papa Francisco, Vaticano, Países ricos, África