Violência faz parte do cotidiano nestes países

São Paulo - Na semana passada a Inglaterra testemunhou cenas de violência há tempos não vistas no país. Em julho, os noruegueses foram o alvo do terror. Os episódios chamaram a atenção por destoar do cotidiano geralmente pacífico destes locais. Em alguns países, entretanto, a violência é como uma doença endêmica. A instabilidade e as perturbações sociais são quase permanentes.

É o caso, por exemplo, da Somália. Um estudo da ONG Instituto para Economia e Paz (IEP, na sigla em inglês) aponta o país como o mais violento do mundo. Com base em uma análise social e política, a organização elaborou um ranking com 153 países encabeçado pela nação africana.

O estudo leva em consideração uma série de indicadores como o número de assassinatos, roubos e outros crimes, bem como a incidência de conflitos organizados, atividade terrorista e quantidade de pessoas na cadeia.

Embora o ranking seja de 2011, ele foi elaborado antes dos episódios violentos no Reino Unido e na Noruega e, portanto, a nota destes países não foi alterada. Segundo a ONG, o Brasil ocupa a 79ª posição. A nação menos violenta do mundo é a Islândia. Veja nas fotos ao lado quais são os países mais violentos do mundo.

Tópicos: Listas, Política, Protestos, Política no Brasil, Rankings, Violência urbana, África