Haia - A Organização para a Destruição de Armas Químicas (OPAQ), que já verificou cerca da metade do arsenal sírio, afirmou nesta quinta-feira que o processo se desenvolve segundo o planejado e que os prazos fixados pela comunidade internacional serão cumpridos.

"Estamos no caminho certo para o cumprimento dos prazos", disse hoje em entrevista à imprensa o assessor político da organização Malik Ellahi.

A OPAQ, que na sexta-feira passada obteve o prêmio Nobel da Paz, se ocupa da parte mais técnica do trabalho e a ONU dos trabalhos de coordenação com o regime de Damasco e a oposição armada.

A missão da OPAQ disse na quarta-feira que verificou, por enquanto, 11 locais de arsenal químico sírio, de 20 dos quais o regime de Bashar al Assad declarou.

Segundo Ellahi, várias dessas instalações já supervisadas estão em zonas sob controle rebelde.

Enquanto isso, Ellahi afirmou que alguns dos lugares que foram informados por Damasco estão situados em "zonas preocupantes por motivos de segurança".

Na atual fase, que deve ser concluída antes de 1 de novembro, os inspetores internacionais se centram em verificar as instalações de produção e armazenamento de armas químicas a partir dos dados fornecidos por Damasco.

Ao mesmo tempo, a OPAQ trabalha para impedir a fabricação de novos equipamentos, o que significa que "foram destruídos recursos de produção e mistura", explicou Ellahi.

"A destruição das armas de destruição em massa em si mesma corresponde a uma segunda fase, posterior ao prazo de 1 de novembro", lembrou.

Segundo os dados da OPAQ, a equipe desdobrada atualmente na Síria também destruiu "equipamentos importantes" em seis locais e algumas armas químicas de categoria 3, que incluem munição sem carga.

Tópicos: Armas, ONU, Síria