Boston - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu nesta quarta-feira a lei federal de saúde durante um discurso em Boston e falou diretamente com algumas pessoas que estão perdendo o seu seguro por causa da lei.

Obama fez críticas contra as seguradoras que estariam citando a nova lei da saúde para cancelar a cobertura de milhares de norte-americanos.

Nas últimas semana, os republicanos, os cidadão e alguns democratas tem criticado a lei de saúde, em função dos problemas técnicos que atingiram o site do programa de saúde. Obama viajou para Boston para tentar direcionar a atenção de todos para os benefícios proporcionados pela lei, mas afirmou que estava frustrado com os problemas do site.

"Não há como negar isso. Agora o site está muito lento, muitas pessoas não tem conseguido explorar o conteúdo e eu não estou feliz com isso", disse Obama. "Eu assumo total responsabilidade para que o funcionamento do site seja normalizado o mais rápido possível"

O discurso de Obama aconteceu horas depois que a sua secretária de Saúde, Kathleen Sebelius, pediu desculpas pelos problemas com o site. Os legisladores também a criticaram em função de afirmações anteriores do presidente norte-americano de que as pessoas que gostavam de seu seguro poderiam ficar com eles.

"Se você gosta do seu plano de saúde, você será capaz de manter o seu plano", disse Obama em 2009, quando ele estava tentando angariar apoio para a lei. Ele repetiu essa mensagem várias vezes e os seus principais críticos tem enfatizado sobre essas declarações em meio a relatos de que milhares de norte-americanos estão perdendo os seus planos de saúde.

O presidente fez as observações em Boston, onde, em 2006, o governador de Massachusetts, Mitt Romney, assinou uma lei para a reforma do sistema de saúde do estado. Obama disse que a lei de Massachusetts deve ser vista como um modelo para a lei federal.

"Alguns legisladores diziam que a lei de Massachusetts estava fadada ao fracasso, assim como falam da lei federal", explicou o presidente norte-americano."O desfile de horrores e as piores previsões sobre a reforma dos cuidados de saúde em Massachusetts nunca se tornaram realidade. E os argumentos contrários ao estabelecimento da lei estão sendo repetidos", completou.

Obama também comparou a lei federal à lei de Massachusetts fazendo referência ao número de inscrições. De acordo com o presidente, no primeiro mês, aproximadamente 100 pessoas se inscreveram no programa de saúde do estado. O governo dos EUA se recusou a dizer quantas pessoas se inscreveram na lei federal de saúde, uma vez que o programa entrou no ar em 1 de outubro, mas os números devem ser baixos, em parte, por causa dos problemas do site. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tópicos: Barack Obama, Personalidades, Políticos, Estados Unidos, Países ricos, Política, Saúde