São Paulo – Imortalizado no papel de Don Vito Corleone em "O Poderoso Chefão", Marlon Brando tinha um sonho: transformar sua ilha particular na Polinésia Francesa num refúgio sustentável.

Em 1960, quando procurava locações ao redor do Taiti para filmar seu próximo filme "Mutiny on the Bounty" (O Grande Motin), o astro de Hollywood se apaixonou pelo atol Tetiaroa e desembolsou 300 mil dólares para comprar esse paraíso natural de 27 km². Ele sonhava em transformar a região numa espécie de 'laboratório ambiental' com direito a um hotel ecológico. Junto com sua terceira esposa, a atriz Tarita Teriipia, Brando chegou a construir uma modesta pousada, mas abandonou tudo depois do suicídio de sua filha Cheyenne.

Sabendo do desejo frustrado do astro, que faleceu em 2004, o arquiteto Harry Gesner, um dos mais badalados da Polinésia Francesa, com a permissão dos herdeiros do ator, começou a transformar em realidade o sonho verde do Poderoso Chefão. Segundo o site The Hollywood Reporter, o ecoresort chamado “The Brando” deve abrir ao público no começo de 2013. As 35 eco vilas, em construção desde 2009, serão totalmente abastecidas por energia renovável, vinda de uma combinação de paineis solares e geradores movidos a óleo de côco.

Além de reduzir ao máximo sua pegada de carbono com a geração de energia limpa, toda a construção do eco resort segue padrões ecológicos rigorosos exigidos pelo Green Building Council dos EUA (Conselho Amerciano de Construção Sustentável).

Tópicos: Atores, Edifícios verdes, Sustentabilidade, Tecnologias limpas