Três pessoas apresentaram resultado positivo para zika em Nova York, o vírus apontado como a causa de nascimentos de crianças com microcefalia em vários países da América Latina, anunciaram funcionários do governo na sexta-feira.

As três pessoas viajaram para áreas onde o mosquito transmissor tem rápida expansão, segundo o Departamento de Saúde do estado de Nova York, que não especificou os locais.

Os funcionários informaram que uma pessoa está completamente recuperada, enquanto as outras duas registram melhora.

Também na sexta-feira, as autoridades dos Estados Unidos ampliaram para 22 o número de países da América Latina, Caribe e outras regiões que as mulheres grávidas devem evitar devido ao surto de zika.

O vírus foi vinculado a milhares de casos de nascimentos de crianças com microcefalia, que pode provocar danos cerebrais.

As autoridades de Nova York advertiram que qualquer viagem para regiões mais quentes deve seguir uma série de precauções.

"Pedimos aos moradores, especialmente as mulheres grávidas, que chequem todas as advertências de saúde antes de viajar e adotem medidas preventivas quando viajarem aos países afetados", afirmou o comissário de Saúde do estado de Nova York, Howard Zucker.

As mulheres nas áreas e países afetados devem tomar medidas para evitar picadas de mosquitos que transmitem o zika vírus, tais como usar mangas compridas, calças longas e aplicar repelente de insetos

Tópicos: Doenças, Nova York, Metrópoles globais, Zika