São Paulo - Quando for inaugurado, em 2015, o World One, em Mumbai, na Índia, será o maior prédio residencial do mundo, com altivos 442 metros de altura. Mas, talvez, o seu maior mérito, seja outro – o edifício será erguido dentro dos padrões da construção ecológica. A torre é o exemplo mais expressivo do boom de prédios verdes na cidade indiana.

Mumbai tem o maior número de empreendimentos com credenciais sustentáveis em construção no país – um saldo de projetos em andamento 60% maior comparado a Delhi e Bangalore, que ocupam, respectivamente, o segundo e o terceiro lugar no ranking divulgado pelo Green Building Council India (IGBC).

A lista tem seis cidades, incluindo Pune, Hyderabad e Chennai. Mumbai, sozinha, tem 319 projetos pleiteando o selo de construção verde Leed, de acordo com o IGBC. Delhi aparece com 199 projetos, seguida de Bangalore e Pune, com 198 e 197, cada.

No total, a Índia conta com mais de 2.111 projetos de construção verde registrados junto ao IGBC, o que coloca o país entre as cinco nações com mais projetos dessa natureza no mundo.

A demanda do consumidor por esse tipo de edifício e a crescente evidência de que eles conferem vantagens de mercado quantificáveis - que vão da economia de energia e corte de custos operacionais à valorização imobiliária – contribuem para a alta desse mercado, que também vive um bom momento no Brasil.