Buenos Aires - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou neste sábado o projeto de um parque solar para desenvolver energia renovável na província de Jujuy, no norte do país, em um ato no qual questionou a política energética que os governos kirchneristas adotaram nos últimos dez anos.

"A energia é um tema vital, um tema central. Um país não pode crescer se não tem energia", disse Macri ao apresentar o projeto na cidade de Purmamarca, a cerca de 1.557 quilômetros a noroeste de Buenos Aires.

No ato, Macri antecipou que a província de Mendoza, no oeste do país, deve ganhar um projeto similar.

O governante afirmou que este tipo de medida permitirá aos argentinos "ter necessidades satisfeitas", em contraste com os cortes de energia elétrica que ocorrem "se há picos de calor ou de frio".

"Isso aconteceu devido a uma péssima política energética que tivemos nos últimos 10 anos", declarou Macri em crítica às administrações de Nestor e Cristina Kirchner.

Macri mostrou-se esperançoso sobre as possibilidades oferecidas pela energia solar, pois é "renovável e não polui".

"Ela vai nos permitir voltar, em maior velocidade, a depender de nós mesmos", acrescentou.

Ainda em Jujuy, Macri anunciou que haverá voos ligando a província de Salta ao Peru, para conectar a região norte da Argentina "com o mundo". 

Tópicos: Argentina, América Latina, Energia, Energia solar, Infraestrutura, Mauricio Macri