O pânico invadiu uma sinagoga de Paris quando, em plena festa religiosa, um indivíduo entrou fantasiado de extremista e com um fuzil, informou nessa sexta-feira uma fonte policial.

"Estava vestido com uma túnica, carregava um fuzil kalashnikov de brinquedo e começou a gritar 'Allah akbar' ('Allah é grande em árabe')", disse a fonte policial, que confirmou uma informação publicada pelo jornal local Le Parisien.

"Isso gerou uma grande agitação entre os soldados (que cuidavam da segurança do templo localizado nos arredores de Paris), disse a fonte.

O incidente, protagonizado por um judeu francês de 40 anos, ocorreu às 20H00 GMT de quinta-feira na sinagoga Jabad Lubavitch, em Vincennes, no leste de Paris.

Os membros da congregação, uma vertente conservadora do judaísmo, celebravam a festa de Purim, uma das mais alegres do calendário hebreu, em que as pessoas se fantasiam e trocam presentes.

O medo inicial se dissipou quando os membros da congregação se deram conta de que se tratava de uma brincadeira. No entanto, as autoridades solicitaram que homem comparecesse à delegacia nessa sexta-feira. a

Na França, as sinagogas, escolas judias e outras organizações comunitárias contam com uma forte escolta policial e militar, sobretudo após os atentados extremistas do ano passado, que atacou em janeiro um supermercado de produtos kósher, em que quatro pessoas morreram.

A festa de Purim comemora o momento em que os judeus se salvam do extermínio durante o Império Persa, dois séculos antes da era cristã.

Tópicos: Europa, França, Países ricos, Judeus, Paris, Metrópoles globais, Terrorismo