São Paulo - O túnel da Avenida Paulista, a caixa d’água do Parque do Ibirapuera, a Marginal Tietê e o Beco do Batman têm muito em comum: além de terem abrigado as primeiras grandes pinturas públicas à luz do dia, também foram escolhidos pelo artista plástico Jaime Prades, um dos precursores do grafite brasileiro, para suas intervenções urbanas.

O artista espanhol nacionalizado brasileiro também já abriu seu ateliê - na Virada Sustentável do ano passado - para o público. Agora, escolheu o recém-inaugurado ateliê galeria Priscila Maineri, em São Paulo, para expor sua arte - "parede s/ parede" terá obras inéditas e peças de acervo - de 12/09 a 06/10.

São pinturas, desenhos e objetos gráficos feitos com materiais abandonados nas ruas da capital paulista. Há peças desconhecidas do público, como a série os "Brutos", feita com pedaços de entulho das caçambas de São Paulo, e outras pinturas de seu acervo, como os "Pacificadores", que representam a violência presente nas relações coletivas.

Formado em Letras pela USP - Universidade de São Paulo na década de 1980, Prades destacou-se, nessa mesma época, por seu trabalho de intervenção artística nas ruas de grandes metrópoles, como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Autodidata, integrava o grupo Tupinãodá - responsável pela criação do primeiro coletivo brasileiro de arte urbana: a primeira geração de grafiteiros.

Na década de 1980, munido de giz, tinta e spray, Prades transformava, as ruas em laboratório para suas intervenções. Diferente da linguagem do grafite de hoje, que dá importância a soluções pictóricas e detalhistas, seus trabalhos são representantes da linguagem iconográfica.

Além de artista plástico e gráfico, ele também é ilustrador, designer de objetos gráficos e atua, desde 2004, como diretor de arte responsável pela tematização e criação de repertório de personagens exclusivos para os 16 parques do Playland, do grupo Playcenter.

Parede S/ Parede
Data: 12/09 a 06/10
Horário: 2ª. a 6ª., das 14h às 19h
Local: Ateliê Galeria Priscila Maineri
Endereço: Rua Isabel de Castela, 274 - Vila Madalena - São Paulo/SP

Tópicos: Arte, Artes visuais, Meio ambiente, Sustentabilidade