Brasília - A Câmara Legislativa do Distrito Federal instalou hoje (24) Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o suposto acesso e uso indevido de dados e de comunicações de autoridades, servidores públicos e de outros cidadãos.

Conhecida como CPI da Arapongagem, a comissão foi instalada com a assinatura de nove deputados, sendo que o número mínimo era de oito parlamentares. A CPI vai investigar grampos ilegais feitos entre 2006 e 2012. Segundo informações divulgadas na imprensa, parte dos grampos foi feita pela Casa Militar do Distrito Federal.

O presidente da Casa, deputado Cabo Patrício (PT) explicou que o prazo de averiguação foi planejado para que fossem investigados casos de escuta ilegal que possam ter acontecido em governos anteriores.

“Essa não é uma investigação contra um governo, mas contra a arapongagem”, disse o parlamentar. E acrescentou: “Essa é uma comissão proposta pela Câmara Legislativa: e todos os deputados têm o direito de assinar ou não”, disse.

O PT do DF orientou os deputados do partido a não assinarem a CPI. Segundo o deputado distrital Chico Vigilante (PT), a CPI não tem sustentação. A seu ver, esse tipo de investigação deveria ser feito pela Polícia Federal.

O deputado distrital professor Israel (PDT-DF) anunciou hoje sua saída da base do governo. Uma das justificativas foi de que não se sentia confortável em assinar o requerimento da comissão e continuar na base do governo.

Os partidos aguardarão cinco dias úteis, após a publicação no Diário Oficial da Câmara Legislativa, para indicar os deputados distritais que farão parte da CPI.

Tópicos: Brasília, Cidades brasileiras, Câmara dos Deputados, Política no Brasil, PT, Partidos políticos