São Paulo - Uma jovem indiana de 15 anos morreu nesta quarta-feira (9) após ser estuprada e queimada viva em Nova Déli.

Segundo o Sidney Morning Herald, a polícia prendeu um homem de 20 anos, acusado de cometer o crime.

A menina chegou ao hospital com 95% do corpo queimado na segunda-feira (7), quando foi atacada em Tigri, nos arredores da capital indiana.

Segundo a família da adolescente, ela estava sendo perseguida pelo acusado de cometer o crime há meses. O pai da jovem chegou a fazer uma queixa na polícia no ano passado.

De acordo com relato publicado pela Vice News após ser estuprada, a menina foi espancada pelo acusado e teve o corpo incendiado no terraço da casa da família. A jovem foi encontrada por familiares que ouviram seus gritos.

De acordo com a família do rapaz, a relação entre os dois era consensual. A polícia segue investigando o crime. De acordo com a Associated Press, o rapaz - que foi encontrado com queimaduras nas mãos - será processado por estupro e homicídio.

As mulheres e crianças indianas são consideradas especialmente vulneráveis à violência sexual por causa dos tabus em torno do tema. Muitos casos não são reportados às autoridades, e alguns não são investigados.

Em dezembro de 2012, uma jovem estudante foi estuprada e torturada por seis homens, dentro de um ônibus. Seu caso gerou uma mobilização sem precedentes no país e fez com que autoridades decretassem leis mais severas em relação ao crime de estupro.

Tópicos: Abuso sexual, Crime, Estupro, Machismo, Mortes, Metrópoles globais, Nova Deli, Ásia, Índia