Tóquio - A operadora da usina nuclear japonesa de Fukushima afirmou no sábado (horário local) que não havia danos ou aumento nos níveis de radiação na estação depois de um grande terremoto no oceano a leste do Japão, que provocou um pequeno tsunami.

Não havia relatos imediatos de danos no continente depois do tremor, apontado como sendo de magnitude 7,1 pela Agência Meteorológica do Japão e que foi registrado a 370 quilômetros da costa. Mais cedo, a agência havia dito que a magnitude era de 6,8.

A TV japonesa afirmou que um tsunami de 30 centímetros chegou à costa leste do país.

Um porta-voz da Tokyo Electric Power (Tepco), operadora de Fukushima, afirmou que alguns funcionários receberam ordem para se deslocarem a locais mais elevados após o terremoto, mas que não havia registro de estragos ou mudanças nas leituras de radiação.

Navios foram vistos deixando um porto ao sul da usina nuclear Fukushima Daiichi como medida de precaução após o tremor. Em 2011, três reatores estragaram depois que um terremoto e um tsunami danificaram os sistemas de refrigeração e energia.

Os reflexos do tremor do sábado foram sentidos em Tóquio, onde prédios balançaram. A capital japonesa está 230 quilômetros ao sul da usina nuclear.

A Agência Meteorológica do Japão emitiu um alerta "amarelo" logo depois do terremoto de que um pequeno tsunami poderia atingir a costa nordeste do Japão.

Um alerta amarelo é emitido quando um tsunami não deve ultrapassar uma altura de 1 metro, bem menor do que a onda que atingiu e danificou a usina em 2011 e provocou sérios danos ao longo do litoral.

Tópicos: Desastres naturais, Fukushima, Terremotos