Manila, 16 jun (EFE).- O presidente das Filipinas, Benigno Aquino, ordenou na sexta-feira à noite a retirada, devido ao mal tempo, de seus dois navios que enfrentam barcos de vigilância chineses em atóis disputados no Mar da China Meridional, conforme disse em comunicado o ministro de Relações Exteriores filipino, Albert del Rosario.

A retirada da patrulha de vigilância e do navio de prospecção dos atóis Scarborough acontece quando se aproxima ao norte do arquipélago filipino o tufão 'Guchol'.

'Quando melhorar o tempo, reavaliaremos a situação', declarou Albert.

Segundo as autoridades filipinas, a China mantém na região várias patrulhas de vigilância e embarcações de pescadores, apesar de que ambas as nações tenham acertado suspender temporariamente a pesca até a resolução da disputa.

O Mar da China Meridional é uma região potencialmente rica em recursos naturais como o gás natural e o petróleo, cujas ilhas - e portanto a soberania de suas águas contíguas - são disputadas por Filipinas, Vietnã, Malásia, Brunei e Taiwan. EFE

Tópicos: Ásia, China, Crise política, Filipinas