Havana - O ex-presidente cubano Fidel Castro afirmou que considerou de "singular importância" o encontro do papa Francisco com o patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, em Havana é que essa reunião deu "esperança" aos povos do mundo, conforme o artigo publicado nesta segunda-feira nos principais jornais da ilha.

"Impedir a mais brutal das guerras que pode acontecer foi, sem dúvida, o principal objetivo do esforço dos líderes religiosos das igrejas dirigidas por homens como o Papa Francisco, Sumo Pontífice da Igreja Católica, e Sua Santidade Kirill, Patriarca de Moscou e de Toda Rússia", ressaltou Fidel.

Segundo ele, "lutar pela paz é o dever mais sagrado de todos os seres humanos, quaisquer que sejam suas religiões ou país de nascimento".

No texto, o ex-presidente destacou que a paz foi o "sonho dourado" da humanidade e o "desejo dos povos em cada momento da história".

Fidel Castro e Kirill conversaram, entre outros temas, sobre a preservação da paz e a sobrevivência humana, no encontro realizado no sábado passado durante a visita que o líder da Igreja Ortodoxa fez pelo país e que terminou ontem.

Dessa reunião, a imprensa oficial da ilha divulgou algumas fotos, as primeiras desde as imagens publicadas em setembro de 2015 após o encontro de Fidel com o papa Francisco, durante a visita pastoral realizada pelo pontífice a Cuba.

Na sexta-feira passada, o papa Francisco e o patriarca Kirill tiveram um histórico encontro no Aeroporto de Havana, a primeiro entre um pontífice católico e um líder da Igreja Ortodoxa em quase 1.000 anos.

Tópicos: Cuba, América Latina, Papas, Papa Francisco, Europa, Rússia, Ásia