Um combatente do Estado Islâmico (EI) capturado pelas forças especiais dos Estados Unidos no Iraque na semana passada é um especialista em armas químicas do grupo jihadista, revelaram oficiais americanos nesta quarta-feira.

A captura deste combatente foi confirmada na semana passada por um funcionário americano, e seu interrogatório produziu um "bom material".

O combatente do EI foi capturado por forças especiais que o Pentágono enviou recentemente ao Iraque para realizar operações contra o EI.

Atualmente, o homem está detido no Iraque, segundo um dos oficiais.

Segundo a rede de televisão CNN, o Exército americano realizou ataques aéreos contra "objetivos que acredita serem fundamentais para o programa de armas químicas do EI".

A NBC revela que funcionários da Defesa identificaram o prisioneiro como Suleiman Daud al Afari, um especialista em armas químicas e biológicas que no passado trabalhou para o regime iraquiano de Sadam Hussein.

O porta-voz do Pentágono, Jeff Davis, não confirmou a captura de um especialista do EI em armas químicas, mas admitiu que "o EI utilizou armas químicas em várias ocasiões no Iraque e na Síria".

Fontes ligadas à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) confirmaram no mês passado o emprego de gás mostarda em combates no norte do Iraque em agosto, mas não culparam diretamente o EI.

A organização também confirmou o uso de gás mostarda em 21 de agosto na cidade de Marea, na Síria.

Tópicos: Armas químicas, EI, Estado Islâmico, EIIL, Estados Unidos, Países ricos