Virgínia - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, confirmou há pouco a morte do número dois do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), Abd al Rahman Mustafa al Qaduli.

Na operação, outras figuras do grupo também foram mortas. "Estamos eliminando sistematicamente pessoas ligadas ao comando do EI", disse Carter em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira no Pentágono.

O chefe do Estado-Maior Conjunto, general Joe Dunford, que também participou da reunião, ressaltou que, apesar de necessária, a operação que matou o líder não é suficiente. "Ele pode ser substituído. Mas vamos continuar nosso trabalho", disse.

O Estado Islâmico reivindicou responsabilidade pelos ataques no aeroporto de Bruxelas e num vagão do metrô nesta terça-feira, dia 22, que deixou ao menos 30 mortos, e pelos atentados de 13 de novembro, que provocaram 130 mortos em Paris.

Tópicos: Atentados em Paris, Ataques terroristas, Terrorismo, EI, Estado Islâmico, EIIL, Europa, França, Paris, Metrópoles globais