Nova York - Trinta funcionários de uma fábrica de costura que fabrica roupas do estilista Alexander Wang em Nova York o denunciaram por exploração e exigem US$ 50 milhões como compensação, informou nesta terça-feira o jornal 'The New York Post'.

Segundo o texto do processo citado pelo jornal, Wenyu Lu e outros 29 empregados da fábrica alegam que Wang e seu irmão Dennis os obrigaram a trabalhar jornadas de 16 horas ou mais sem descanso nem pagamento extra em um quartinho de 20 metros quadrados sem janelas e ventilação.

Essas condições de trabalho provocaram nos funcionários sintomas de esgotamento que levaram Lu a ser hospitalizado durante vários dias após desmaiar ao lado de sua máquina de costura na fábrica da Broadway.

Na ocasião, de acordo com a denúncia apresentada à Suprema Corte de Queens, o empregado estava há 25 horas seguidas trabalhando sem intervalo.

Além disso, os irmãos Wang ameaçaram despedi-lo caso se negasse a costurar um par de calças de couro em quatro horas, três vezes mais rápido do que o habitual.

O funcionário acabou sendo demitido em 16 de fevereiro, quando se queixou mais uma vez das péssimas condições de trabalho, e disse que iria solicitar uma compensação legal pelas mesmas.

Alexander Wang, de 28 anos, ganhou no ano passado cerca de US$ 25 milhões e atualmente é um dos estilistas mais conhecidos de Nova York, onde acaba de abrir uma loja de quase 400 metros quadrados e planeja inaugurar em breve outras 15 no mundo todo. 

Tópicos: Estilistas, Fashionistas, Setores, Moda, Trabalho escravo