As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram93 km² em julho de 2013, segundo boletim divulgado pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente (Imazon) nesta segunda-feira (19).

A prática na região - causada, entre outras atividades, pela exploração madeireira insustentável - aumentou 237%, em comparação ao mês de julho do ano passado, quando foram degradados 27,5 km² de floresta.

O desmatamento também cresceu: o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon detectou 152 km² de floresta desmatada, comprometendo três milhões de toneladas de CO2 equivalente. Em julho de 2012, o número registrado foi de 139,5 km², o que revela um aumento de 9%.

O estado do Pará levou o título de maior devastador da região, sendo responsável por 38% do desmatamento detectado na Amazônia Legal. O Amazonas aparece em segundo lugar no ranking (28%), seguido por Mato Grosso (24%) e Rondônia (9%).

De acordo com o Imazon, devido à baixa cobertura de nuvens, foi possível monitorar 92% da área florestal da Amazônia Legal no período. Em 2012, 80% do território foi monitorado pelo SAD.

Tópicos: Amazônia, Desmatamentos, Meio ambiente